vives nas esquinas do meu pensamento

30/07/08

Batalha dos Tempos XVIII - Deserta Solidão


a solidão macia me rondando
em lugares estranhos a quero deixar
só a quero no mar
lá onde o amor pode se mostrar
pode ser face, verdadeira
ouvir o vento falar
sentir a maresia, o cheiro da vida
é lá que deixo a solidão me tomar
minhas palavras na dança da maré
minha memória
o sempre sonho da mulher
aquela que quero amar
na deserta solidão que me permito
viver no vento do mar.
Foto de Olga

09/07/08

Desabafos XXVIII - O conflito do amor



O amor é um conflito
não.não falo do amor poema
do amor poesia...
falo de outro,
o amor que não se desmancha na areia
o amor que faz lençóis na cama
o amor que grita
não vive sufocado -
o amor da beira
do canto, do lado,
do dentro,
profundo
o amor que saneia
que recorda e faz porque recorda
o amor "desvendador" dos enigmas

o amor é um conflito
teima em se desprender

E só assim ser o amor.
Foto de gaba