vives nas esquinas do meu pensamento

30/07/08

Batalha dos Tempos XVIII - Deserta Solidão


a solidão macia me rondando
em lugares estranhos a quero deixar
só a quero no mar
lá onde o amor pode se mostrar
pode ser face, verdadeira
ouvir o vento falar
sentir a maresia, o cheiro da vida
é lá que deixo a solidão me tomar
minhas palavras na dança da maré
minha memória
o sempre sonho da mulher
aquela que quero amar
na deserta solidão que me permito
viver no vento do mar.
Foto de Olga

7 comentários:

  1. A solidão só é macia nas palavras de poetizar. A que fica do lado de cá da vida é amplamente rascante.

    "Solidão é lava que cobre tudo
    Amargura em minha boca
    Sorri seus dentes de chumbo."
    Paulinho da Viola

    Beijo,

    ResponderEliminar
  2. excessivo


    [ se pode haver esse excesso?!


    de


    beleza


    ~

    ResponderEliminar
  3. linda a foto que tão bem as palavras acompanham.
    abraço
    luísa

    ResponderEliminar
  4. como eu gostava de ser o vento que acaricia o mar!
    beijos

    ResponderEliminar
  5. Minha querida,

    Saudades de você também. Muitas.

    Há palavras que me apontam um oceano de ternuras. As suas são assim.

    Mais um pouquinho e já volto, tá?

    Muito beijos,
    Inês

    ResponderEliminar
  6. há sempre um lugar para o nosso silêncio
    para o deixar
    para o ir buscar
    para com ele conversarmos.

    beijo de saudade

    ResponderEliminar
  7. Ô moça! kk Tô reparando a senhora não posta mais não, é? kkkk

    A solidão é fera fia! kkkk

    Será que ela vai ler todos os meus comentários? kkkkk

    bjs
    O Sibarita

    ResponderEliminar