vives nas esquinas do meu pensamento

22/01/09

Batalha dos Tempos XXIX - dos dias de você


É o convencimento absurdo que me faz imaginar os dias, os dias de você. Me enamorei por um carinho que deitou sob a tempestade gritando: é milagre! É milagre!. Que sei eu de milagres, Ora. Sei dos dias de você. Aqueles que fazem a sombra onde não é possível; aqueles que fazem as ondas do mar... tragar o vento e aprisioná-lo envolvendo-o em suas paredes de água derramada. Sim. Hoje. Hoje é um dia que faz eu me sentir deitado na beira de um rio para ouvir conversas de águas. Na brilhante luz da lua me sinto ser. Como nunca foi possível acreditar.
FOI ASSIM QUE TUDO COMEÇOU...
O despertar daí em diante mudou. Adquiriu um tom violeta , um quase lilás , e passou a ser o acordar.Assim, dia após dia, venho alimentando o melhor de mim. Andava faminto de querer bem e a sentir inveja por ainda não amar. Foi assim que comecei a perceber os dias de você. Leves ainda quando em suas estradas traziam grandes turbulências, às más notícias. Ainda assim cercou-me de leveza para enfrentar as irracionais discussões. Mas daquele momento nunca mais as coisas seriam iguais, porque a partir dali tudo perderia o seu sentido e modificaria seus significados. Esse lado , agora, aponta um entendimento muito maior sobre esses tantos segredos da vida que vivemos. Vivencia um amar, carinhosamente correspondido, sob as sutilezas do avanço racional. Imagina.
Delira. Acomoda. Excita. Livre se dá.
Qual experiência pode dar noção aos signos mais intensa do que essa?. Amar como se fosse o último momento, como se fosse um meio-termo, como o início inesperado de uma profunda mudança no viver. Poder dizer: alguém que nem sei quem ama-me. Por amor deseja-se o até indesejável. Pois se assim não fosse não seria amar, essa capacidade única de querer pertencer e ser de um alguém.
A essência disso tudo? Você nas minhas cercanias, você e esse cheiro de relva que não saí de meus dedos, você e seus suspiros sensuais, sua beleza amadurecida, você e suas mãos de dedos longos, macios, você uma temperatura certa, uma água que preciso provar.
*
*
*
Foto de Paulo Pinto

4 comentários:

  1. Como se fosse o último... até ser , de novo, um último.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. um texto espectacular!
    a voltar para reler claro


    beijos

    ResponderEliminar
  3. Ouvir conversas de água? Somente àqueles que amam é possível ouvir e conversar com as águas.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  4. Estou fazendo uma campanha de doações para meu projeto da minibiblioteca comunitária e outras atividades para crianças e adolescentes da minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todas as pessoas de bom coração,pode doar de 5,00 a 20,00. Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos. Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

    ResponderEliminar